• 28 de novembro de 2022
  • Atualizado em 28 de novembro de 2022 07:57

A lagarta-do-cartucho é uma das principais pragas do milho e outras culturas importantes, como a soja, atacando ainda mais de 100 espécies, entre cereais, hortaliças e frutas. O BaculoMip SF, desenvolvido a partir de pesquisas da Embrapa Milho e Sorgo, é o novo biodefensivo à base de baculovírus, vírus patogênicos a insetos, uma ferramenta no controle biológico desta praga, sendo inofensivos aos seres humanos e demais insetos. Esta espécie de lagarta consegue se alimentar de várias plantas além do milho, por isso, está associada a maioria das culturas anuais de importância econômica. Ela prefere alimentar-se de folhas novas e dirigem-se para o interior do cartucho começando a fazer buracos na folha, destruindo completamente pequenas plantas e causando danos em plantas maiores com 20% de perdas. Os biodefensivos têm sido incorporados como estratégia bastante eficiente na produção de alimentos. Atualmente, a combinação dessa tecnologia com outras, é a estratégia mais eficiente na proteção das culturas mais importantes do campo

“O BaculoMip surge neste mercado como uma grande oportunidade para o produtor e deve ser inserido dentro de programas de manejo integrado de Spodoptera frugiperda . O grande diferencial deste lançamento é uma integração do BaculoMip com o TrichoMip (Trichogramma pretiosum). A junção do BaculoMip atacando as lagartas com o TrichoMip atacando ovos dessa mesma praga potencializa o manejo em diferentes grupos da praga em diversas regiões produtoras do País ”, afirmou Marcelo Poletti, CEO da Promip, empresa participante da parceria público-privada com a Embrapa, e que resultou neste nova arma biológica contra a praga da largarta-do-cartucho.
O manejo biológico de pragas é uma prática que permite manter a sustentabilidade das lavouras e do meio ambiente. O TrichoMip utiliza uma vespinha Trichogramma pretiosum, que impede a eclosão de ovos da Spodoptera frugiperda (ação ovicida).
O BaculoMip SF é específico para o controle do lagarta-cartucho e não afeta outros organismos no ambiente, como os parasitóides, os predadores e os insetos benéficos presentes nas lavouras. “O mecanismo de ação do BaculoMip SF confere um elemento de possibilidade de ser utilizado nos sistemas de cultivos orgânicos e convencionais. Este mecanismo de ação também confere ao produto a possibilidade de ser usado no manejo de resistência a inseticidas e no manejo de resistência das lagartas nas culturas Bt utilizado comercialmente ”, disse Edmar Tuelher, pesquisador da Promip.
A importância dos biodefensivos na produção sustentável e controle biológico no século XXI consiste na potencialização do uso de organismos ou de substâncias de ocorrência natural para prevenir, reduzir ou erradicar a infestação de pragas e doenças nas plantações. Por isso, os produtores têm buscado incorporar cada vez mais biodefensivos em suas lavouras, melhorando significativamente as práticas de manejo de pragas e a preservação de outras tecnologias.

Sobre a temida largarta-do-cartucho

O ciclo da spodoptera frugiperda inicia-se com os ovos que possuem coloração verde-clara tornando-se alaranjados próximos a maturação. As lagartas são inicialmente claras, passando para pardo escuro a esverdeadas até quase pretas, apresentam um “Y” invertido na parte frontal da cabeça e que caracteriza a espécie. Possuem três pares de pernas no tórax e cinco pares de falsas pernas no abdome, podendo atingir 50 mm de comprimento.

Após o desenvolvimento da lagarta, estas se tornam pupas com cerca de 15 mm de comprimento, de coloração avermelhada ou amarronzada que dão origem aos adultos, mariposas com alta mobilidade, que medem cerca de 35 mm de envergadura, coloração das asas anteriores é pardo-escuras e as posteriores branco-acinzentadas. A longevidade do adulto é de cerca de 12 dias onde as fêmeas apresentam elevado potencial reprodutivo, com capacidade de ovipositar mais de 1000 ovos e o ciclo completo da praga ocorre em pouco mais de 30 dias.

A orientação é que os produtores fiquem atentos e realizem semanalmente o monitoramento de suas áreas de milho, pois o ciclo da lagarta-do-cartucho é relativamente rápido e a praga causa muitos prejuízos, causando desfolhas que diminuirão o índice de área foliar (IAF) que é um indicativo de produtividade, pois a fotossíntese depende da área foliar, o rendimento da cultura será maior quanto mais rápido a planta atingir o índice foliar máximo e quanto mais tempo a área foliar permanecer viva e sem danos.

Wilson Ribeiro/Secom CONAFER

Com informações da Embrapa, +Soja e CropLife.